Beleza que vai além do que se enxerga!

Elas esbanjam beleza e mostram que o primeiro passo para a felicidade é se aceitar do jeito que são. Conheça um pouco da história de Rachelle Friedman, Martinha e Paola Antonini.

O que a americana Rachelle e as brasileiras Marta e Paola  têm em comum?

12002110_1013260608736932_1304415260958214911_n_DSC0271-2b37bef3c1c7cee6804c472bca5c27b7f

São mulheres lindas, felizes e poderosas! São Divas e fazem questão de valorizar sua beleza!

Cada uma das três carrega uma história que poderia ter tido um final triste, mas todas escolheram ver a vida pelo melhor ângulo.

#WHATMAKESMESEXY

Às vésperas de seu casamento, mais precisamente no dia 23 de maio de 2010, a americana Rachelle Friedman Chapman passou por algo que mudaria sua vida para sempre. Era sua despedida de solteira, e  todas as convidadas estavam muito felizes no clima da comemoração, então, uma “brincadeirinha” transformou-se em tragédia: uma de suas amigas, que era sua madrinha de casamento, inclusive, a empurrou em uma piscina. Com o impacto da queda, Rachelle, então com 24 anos, fraturou o pescoço e ficou paraplégica do peito para baixo. Por mais dificuldades que tenha enfrentado, ela decidiu continuar a viver! Faz cinco anos que o acidente aconteceu e nesse tempo ela se casou, teve uma filha (por “barriga de aluguel”) e se tornou uma ativista que luta para que as mulheres com deficiência sejam vistas como pessoas normais, que podem ter família, filhos, ter seu momento de lazer e, principalmente, sensualidade. Por isso, Rachelle criou a campanha #WhatMakesMeSexy, em que por meio de fotos quer mostrar como as pessoas com deficiência também são sensuais.

12042700_1018667304862929_4498476858705373196_n

Imagem: Reprodução Facebook.

“Eu vejo na mídia um consenso de que as pessoas com deficiência não podem amar, são assexuadas e não podem ser sexy. Eu queria fazer algo não apenas para a minha autoconfiança, mas para qualquer pessoa que esteja na minha situação e ache não pode ser bonito por causa de uma deficiência”, explicou a ativista em seu Facebook.

Rachelle usa um cateter para esvaziar a bexiga, o que aumenta o impacto sobre sua autoestima, porém ela fez questão de que o “aparato”, por fazer parte de sua dia a dia, aparecesse em todas as fotos do ensaio.

11891230_1000906309972362_8900935377212645830_n

Imagem: Reprodução Facebook.

Rachelle é blogueira, palestrante e escritora e fez de sua missão espalhar a sua história na esperança de inspirar outros a dar o máximo de si cada dia. ” Por que desperdiçar seu tempo insistindo em coisas insignificantes? Acredite em definir a sua vida a partir dos momentos positivos e não o negativos”, diz ela em seu site.

photo-2-2

Imagem: Reprodução Facebook.

1796598_1062528580476801_5544386611213243217_n

Imagem: Reprodução Facebook.

 

 

SEM DEIXAR A PETECA CAIR

Marta Assunção, conhecida como Martinha, fotógrafa, é uma mulher linda, feliz e poderosa, por ser um verdadeiro exemplo de coragem e superação, e por sua beleza, que de fato existe, não só por fora, mas principalmente por dentro. Guerreira por natureza dirige sua vida corrida com muito entusiasmo, e sempre encontra um tempo para a família, amigos e o amor.

11113755_772448322871460_1560386713025150282_n

Imagem: Reprodução Facebook.

Em 1990 ela cursava Educação Física em Jales (SP), e como morava em Cardoso (SP), ir e vir de uma cidade para outra era rotina. Porém, em uma dessas voltas, quando estava com mais quatro amigos no carro, um motorista bateu no carro deles. O acidente foi grave, Martinha sofreu uma lesão medular que a fez perder os movimentos das pernas. Somente Martinha e um amigo sobreviveram. Do outro carro, o motorista e o passageiro morreram. “Foi muito difícil recomeçar. Perdi pessoas queridas e os movimentos das pernas. Mas não deixei a peteca cair”, afirma a cadeirante há 25 anos, que lida com muito bom humor com os obstáculos diários.

Recentemente, em busca de mostrar para outras mulheres que independente da condição física elas podem ser sensuais, ela inverteu os papéis, e foi clicada pelas lentes de um dos seus ídolos da fotografia, o fotógrafo Enio Guimarães, que a registrou em poses não muito comuns para uma cadeirante. No ensaio, que era um sonho pra ela, Martinha mostrou toda a sensualidade do seu corpo que estava envolvido em lindos tecidos de seda e renda, marca registrado de Enio que usa mulagem para criar vestidos, modelados no próprio corpo das modelos.

A maquiagem assinada pela maquiadora Andrea Santana deixou Marta ainda mais confiante e radiante para o seu ensaio. “Estou muito feliz! Acho que o meu ensaio será muito importante, para levantar a minha autoestima, e também de outras mulheres com deficiências físicas, e mostrar pra elas, que mesmo com nossas limitações, ainda somos mulheres. Tenho amigas que se enterram na cadeira, e embora às vezes ainda seja difícil pra mim também, não quero ser vista dessa forma”, desabafa a fotógrafa.

De acordo com o fotógrafo, os ensaios servem como um pedido de socorro por parte das mulheres. “É como se elas dissessem por meio das fotos ‘olha como estou linda e sou linda’. Independentemente se elas têm alguma deficiência ou não, toda mulher necessita resgatar a autoestima. E as fotos ajudam muito nisso”, comenta o profissional.

_89U0052-1

Imagem: Divulgação Assessoria.

_DSC0052-4

Imagem: Divulgação Assessoria.

_DSC0110-2

Imagem: Divulgação Assessoria.

_DSC0163-3

Imagem: Divulgação Assessoria.

_DSC0361-2

Imagem: Divulgação Assessoria.

O fotógrafo, que já clicou cerca de 30 mil mulheres Brasil, elogiou sua modelo.”No final de tudo, a Matinha se revelou uma modelo, sensual, poderosa, e realizada com o efeito que o ensaio proporciona”, completou Enio.

A ESCOLHA POR VIVER

No quesito superação e autoestima, a modelo Paola Antonini, de Belo Horizonte, é referência! Em 2014, quando tinha 20 anos, ela preparava-se para viajar e, enquanto colocava sua bagagem no carro do namorado, um veículo desgovernado a atingiu e prensou sua perna entre os dois automóveis. Mesmo com um intenso trabalho da equipe médica, sua perna teve que ser amputada. Depois de muitas dificuldades, em março de 2015, ela conseguiu se adaptar a uma prótese, e pouco tempo depois, em agosto do ano passado, participou do primeiro desfile depois do acidente. A modelo faz sucesso na internet. Ela registra a evolução de seu tratamento e seu dia a dia no Instagram, além de manter um canal no YouTube onde fala sobre assuntos gerais de sua vida.

Paola faz faculdade, namora, sai muito com os amigos e já contou sua história em diversos programas de TV como, por exemplo, o Encontro com Fátima Bernardes. Em seu instagram é fácil encontrar fotos lindas de Paola abusando dos shorts e modelos que valorizam sua beleza. “Amo minha prótese, acho ela linda cinza, do jeito que é”, disse em um de seus vídeos em seu canal no Youtube.

11895045_1184044458289141_752264845171260165_o

Paola em seu primeiro desfile após o acidente. Imagem: Reprodução Facebook.

3953fd9dbe91fb82816dd35a53c0851f

Imagem: Reprodução Facebook.

Sem dúvida, essas três guerreiras nos ensinam que mulheres lindas são aquelas que são felizes e que se amam!

Mais informações sobre as personagens desta matéria:

Rachelle:

Instagram: @rachelle_friedman
Site: http://rachellefriedman.com/

Paola:

Instagram: @paola_antonini
Twitter: @paolaAntonini
SnapChat: @paola_antonini
Youtube: Paola Antonini

Leia também