Selfies elevam a procura por cirurgias plásticas

Haja paciência para encarar inúmeros cliques até que a imagem “ideal” seja retratada!

As redes sociais propagaram a moda das “selfies” entre adultos, crianças, jovens ou mais velhos. E esse tipo de autorretrato moderno, por sua vez, agrega ainda mais insatisfação quanto à aparência física – afinal, sempre tem algo que não gostamos em nosso corpo e gostaríamos de mudar. Isso, aliado à baixa autoestima, aceitação do grupo de amigos, padrões de beleza pelas principais marcas e propaganda ou simplesmente vaidade, estão fazendo com que pessoas cada vez mais jovens optem pela cirurgia plástica.

Porém, é preciso evitar excessos e tomar muitos cuidados com algo que pode impactar uma vida inteira. Depois que as selfies viraram moda nas redes sociais, os consultórios médicos registraram aumento na procura pela cirurgia plástica. Isso porque muitos deles estão insatisfeitos com a imagem que veem on-line. No entanto, é preciso analisar que as selfies não são parâmetros de beleza, já que são feitas a um braço de distância do rosto, muitas vezes torta, com luz inadequada ou até mesmo tremendo.

A primeira questão que os jovens precisam levar em consideração não é apenas a vontade de estarem com uma melhor aparência, e sim a necessidade disso“, afirma Arnaldo Korn, diretor do Centro Nacional – Cirurgia Plástica. O que há em particular neste grupo é a imaturidade, própria da idade, que pode atrapalhar na decisão. Desproporções na forma ou dimensão do nariz, por exemplo, podem ser transitórias ou supervalorizadas pelo adolescente. Isso não quer dizer que a cirurgia plástica não possa ser feita em qualquer idade, afinal o incômodo e a não satisfação com o seu corpo também são uma questão de saúde.

É importante verificar alguns pequenos e simples processos antes de recorrer à cirurgia para resolver um problema estético: o paciente precisa ter certeza do que quer e demonstrar que quer fazer o procedimento, compreendendo, com maturidade, todo o seu processo – que envolve riscos, limitações, acompanhamento, recuperação, entre outros. Deve demonstrar também capacidade de realizar e cumprir os cuidados do pré-operatório, sem rebeldias, e ter paciência para aguardar os resultados desejados.

Da parte do médico, o profissional deve se certificar que não há exageros na “queixa” apresentada e verificar que o local/órgão em questão esteja totalmente desenvolvido. É importante também que os pais e o próprio adolescente se certifiquem das habilidades médicas, buscando conselhos e depoimentos de pessoas que já realizaram algum procedimento com esse profissional.

 

Leia também