Por mais Miss Canadá

 

Tudo bem, Divas? Espero que estejam ótimas!

Essa semana acabei preparando de última hora esse post. Como aconteceu no começo da semana o concurso de Miss Universo que foi tão comentado, não podia deixar de falar sobre.
Vou ser sincera: não assisti! Mas vi tanto comentário sobre o assunto que fui conferir. Antigamente não perdia um concurso sequer. Adorava ver as moças desfilando seus vestidos, sempre um mais lindo que o outro. Na época em que as Misses eram mulheres lindíssimas, cheias de curvas, com seus cabelos naturais e narizes não plastificados.

Continuam lindas, mas a cara da Miss mudou. Mudou tanto que muitas vezes acabam perdendo a própria identidade.

Há quem diga “Não se faz miss como antigamente, faz-se ainda melhor!”
Melhor? Será? Aliás, como podemos dizer quem é melhor ou mais bonita? Pensando bem, que propósito há num concurso que exige perfeição?
O que é perfeito para mim, pode não ser para outros milhares de pessoas.

Vera Fisher foi eleita Miss Brasil em 1969, de Santa Catarina. Naturalmente linda.

Juliana Borges, Miss Brasil 2001 – Rio Grande do Sul. Conhecida como Miss Bisturi, foram 19 operações plásticas para concorrer no Miss Brasil.

Realmente os conceitos andam muito distorcidos. Principalmente quando num concurso ainda reúne mulheres do mundo todo para exibir seus corpos e rostos perfeitos.
No qual predomina a sensualidade, competição, ganância, instiga inveja, ciúmes e a busca por uma perfeição. Por trás disso, consequentemente vem a frustração, depressão, bulimia, anorexia, pouca autoestima. Sentimentos de incompetência, de inferioridade. A mulher que não estiver preparada, equilibrada e que não tenha muita autoestima desmorona.
Gente, estamos vivendo uma época em que as pessoas vêm de uma adolescência sem autoestima. Precisamos reverter e mudar isso. E já!

Francesa Iris Mittenaere

Mas, nesse último concurso de Miss Universo 2017 pudemos perceber que as coisas estão começando a mudar. Mesmo que ainda escutemos apresentadores pouco preparados com comentários preconceituosos.
A polêmica foi em torno da Miss Canadá, Siera Bearchell. Que não ganhou o concurso, mas ganhou o público. Ela conseguiu ficar em nono lugar.
A vencedora é a francesa Iris Mittenaere de 24 anos e a nossa representante, a paranaense Raíssa Santana, 21 anos. Negra maravilhosa! Infelizmente só chegou entre as 13 finalistas. Merecia mais!

“Ah, mas a Canadense está fora dos padrões para uma Miss!” Para a exigência de uma sociedade e mídia hipócrita!
Gente, quem não gostaria de ser “fora dos padrões” como a Miss Canadá?
De ter a autoestima elevada como a dela? De se aceitar e ser feliz assim, sem vergonha, sem importa-se com o que falam?
Por mais Miss Canadá!

Vejam o que ela postou em seu Instagram:
“É preciso disciplina para ‘ter o corpo de uma Miss Universo’. Também é preciso disciplina para ser aceito na Faculdade de Direito. É preciso disciplina para correr uma maratona. É preciso disciplina para ser fiel a nós mesmos em um mundo que está constantemente tentando moldar-nos em algo que não somos. As pessoas me perguntaram se eu mudei meu corpo para provar um ponto. Não. Nossas vidas estão em constante mudança. Assim como nossos corpos. Para ser sincera, eu comia quase nada em concursos anteriores e mesmo assim não me sentia bem o suficiente. Não importa o quão pouco eu comia e quanto peso eu perdia, eu constantemente me comparava com as outras e sentia que podia perder mais. Minha percepção não combinava com o corpo que eu via no espelho. Havia dias em que eu comia uma barra de proteína, treinava por horas e lutava para dormir porque estava com muita fome. Meu corpo não é naturalmente magro e está tudo bem. Eu sou saudável. Eu estou em boa forma. Eu estou confiante. Eu sou eu. Esta é quem eu sou agora e eu estou bem. Mulheres, lembrem-se que a verdadeira beleza vem de dentro.” Siera Bearchell.

Sim está tudo bem! E ela é linda assim! Você, Diva, é linda assim exatamente como é!

A mídia e a sociedade são cruéis, estipulam padrões de beleza que não existem. As pessoas são diferentes, biotipos, musculatura, raças, cores. Mas eles dizem que você precisa ser magérrima e linda. Do contrário, não serve, te ignoram. Sei o que estou falando, porque já convivi nesse meio e é muito triste. Porque são valores fúteis. Não vale a pena! E lembre-se: quando estiver folheando uma revista e vendo as maravilhosas modelos, saiba que maquiagem e Photoshop fazem milagres!
Somos mais que corpo, peito, caras e bocas. Somos almas e temos coração!
Espero que tenham gostado!

Bom fim de semana, Divas!

Qualquer dúvida entre em contato comigo: Mande um e-mail para [email protected] ou deixe seu recado nas Redes Sociais do Portal A Confraria das Divas.

Tags:, , ,