Dicas de decoração para ambientes infantis

Arquiteta e designer destaca pontos para serem levados em conta na hora da decoração

Alguns pontos merecem uma atenção especial dos pais na hora de decorara os ambientes de seus filhos, pensando nisso, a arquiteta e designer de interiores Fernanda Hoffmann listou quinze deles:

1)      É importante instigar a criatividade e a curiosidade das crianças, por isso os ambientes devem ser lúdicos e coloridos.

credito-da-foto-sidney-doll-_7954

2)      O piso emborrachado propicia maior conforto ao sentar no chão e evita escoriações no caso de quedas. Existem no mercado os vinílicos, tapetes soltos de EVA, entre outros. É fundamental se informar sobre a limpeza de cada um.

3)      Os móveis e prateleiras devem ter altura compatível com a das crianças para que elas tenham autonomia para pegar os objetos e brinquedos. É importante evitar quinas vivas ou protegê-las com protetores de borracha/ silicone, vendidos em qualquer loja de artigos infantis.

4)      Existem várias cores que ficam bem em quarto de bebê, fugindo do tradicional rosa para menina e azul para menino. Entre as opções estão o lilás, amarelo, verde, e até opções mais neutras como o bege e branco.

credito-da-foto-sidney-doll-_9447

5)      Uma marcenaria planejada pode funcionar bem desde o nascimento da criança até os seus oito anos. O trocador, por exemplo, pode facilmente servir mais tarde de escrivaninha. O berço vai dar lugar a uma cama, portanto dá para planejar os armários pensando no espaço da futura cama para não ter que desmontar tudo quando o berço sair de cena.

6)      Quartos temáticos são muito bonitos, mas não acompanham as fases da criança. Se a ideia é ficar com a decoração por mais tempo, esqueça os temas. O uso de formas geométricas, listrados, xadrez estão em alta e fogem das cores lisas, sem estampas.

7)      Um quarto de bebê deve ser limpo e com espaço para locomoção. Portanto, a decoração deve focar na praticidade. Os móveis devem ser limpos e práticos em seu uso. É essencial, além do berço e armário, ter uma cômoda com trocador e uma poltrona confortável para amamentação. Se houver espaço para uma cama além do berço é bom para as noites que a criança acorda toda hora.

credito-da-foto-divulgacao

8)      Tapetes só são indicados se forem hipoalérgicos e laváveis, e cortinas se forem antibacterianas. A criança pode apresentar problemas com produtos que grudam pelos e facilitam o ácaro e poeira.

9)      É possível aproveitar o espaço do quarto da criança para organizar os brinquedos e oferecer um lugar para estudo e diversão. Um simples tapete no chão com almofadas por cima em frente à TV evita móveis desnecessários. As almofadas podem ser guardadas quando não estiverem sendo usadas para liberar a circulação. Embutir um baú na cabeceira da cama ou usar uma cama box é outra saída;

10)  Quando a família tem mais de uma criança, sempre priorizamos a mais nova no dormitório mais próximo ao do casal, pois exige visitas mais frequentes ao cômodo.

11)  É preciso tomar cuidado ao encostar móveis próximo as janelas, pois podem servir de escada para os pequenos. Importantíssimo nunca esquecer das redes de proteção.

credito-da-foto-sidney-doll-_7945

12)  Em ambientes públicos, como playground e brinquedotecas, posicione placas em frente de cada brinquedo contendo identificações que determinem a qual faixa etária é destinado.  No piso, utilizar superfícies que absorvam o impacto durante as quedas, em baixo e ao redor dos brinquedos (borrachas, produtos de cortiça e de madeira, areia, grama e cascalho fino).

13)  Para brinquedos fixos, a área a ser coberta por este material, que reduz o impacto durante as quedas, deve estender-se por pelo menos 1,75 m a partir da extremidade do equipamento. Para os brinquedos móveis, a área a ser protegida deve ser de 1,75m, além do deslocamento máximo do equipamento.

14)  O ideal é que os parques infantis fiquem localizados em áreas livres de poluição ambiental, de ruídos e longe de tráfego intenso. Certifique-se da existência de barreira física para impedir a saída das crianças para a rua, evitando assim possíveis atropelamentos.

credito-da-foto-sidney-doll-_7949

15)  Existe uma tinta que transforma a parede em lousa, encontrada nas cores verde ou preta. É uma opção barata e causa um bom impacto na decoração do ambiente. Além disso, é uma forma dos pais educarem a criança que só naquela parede pode rabiscar e deixá-la à vontade para liberar sua criatividade.

 

Leia também