A iluminação certa para salas de jantar

Em épocas de calor e fim de ano, é preciso pensar como dar aquela nova “cara” ao ambiente sem comprometer a atmosfera acolhedora

Um bom projeto de decoração está ligado diretamente a um bom projeto de iluminação, principalmente quando falamos em salas de jantar. É neste ambiente que boa parte da família se reúne, compartilham acontecimentos do seu dia a dia, recebem visitas de amigos e fazem as grandes ceias nas festas de fim de ano. Por isso, é essencial que a iluminação do ambiente esteja em harmonia com as peças de decoração e móveis, criando uma atmosfera acolhedora e sem causar desconforto visual.

A iluminação errada pode causar calor excessivo, alterar a cor dos alimentos no prato e um efeito chapado de “doer” a vista. E por que não aproveitar o fim de ano para repaginar o ambiente e torná-lo mais agradável? O primeiro passo é a lâmpada mais adequada. “Como vivemos num país de clima quente, é bom sempre tomar um pouco de cuidado com luminárias que vão muitas lâmpadas, pois podem emanar calor. Devemos enxergar o que estamos comendo, e para isto o IRC (Índice de Reprodução de Cor) da lâmpada é de extrema importância, para que a luz não modifique a cor do alimento”, afirma o designer Maurício D’Ávila, da Geo Luz & Cerâmica. Uma boa opção são as lâmpadas LED ou eletrônicas e que emitam até 3.000 K.

Outro ponto importante é que por ser um cômodo versátil, é essencial que se utilizem tipos diferentes de fonte de luz: lustres, pendentes, abajures, arandelas, lâmpadas de teto e, claro, a luz natural. “Normalmente pensa-se apenas na iluminação da mesa de jantar, o que é absolutamente necessário, mas para que possamos usufruir deste conforto, uma iluminação indireta no ambiente torna-se indispensável”, conta o designer. As arandelas, como as peças Juliet e Vega Open, da Geo Luz&Cerâmica, são essenciais nesta a decoração, já que criam diversos cenários para diferentes propostas de jantar, dependendo da ocasião, e ainda podem ajudar a “unir” e integrar a sala de jantar a outros ambientes da casa.

Para a mesa, é claro que o pendente é ponto principal, mas é preciso estar atento ao tipo, ao modelo, ao formato e à distância que ele será colocado.

Mesas redondas combinam com luminárias redondas, enquanto mesas retangulares pedem luminárias mais lineares e, dependendo do efeito a ser causado no ambiente, precisam estar posicionadas a cerca de 30 cm ou até 90 cm da mesa. Cada caso é um caso. Uma grande vantagem do pendente é que ele também serve como item de decoração e pode abranger cores quentes e frias, como os modelos Tantrus ou Sapinus.

É muito importante poder criar a sala de jantar ideal para receber as visitas nas confraternizações ou mesmo para dar aquela nova “cara” na casa, e ter um ambiente que acompanhará a família por todo um novo ano, cheio de novas realizações.

Leia também