Para as Cinderelas de pés grandes 39-43

Mulheres que usam numerações maiores afirmam que são esquecidas pelos fabricantes de sapatos.

“Promoção de sapatos é tipo uma festa que não fui convidada”, brinca Gisele da Rosa, 26, uma das integrantes do grupo “Família Girafates”, exclusivo para meninas que calçam mais de 39. “Enquanto minhas amigas de pés pequenos pagam R$ 30,00 em uma sapatilha, eu pago geralmente mais de R$ 100,00. As marcas decidem fabricar sapatos maiores e acham que somos ricas!”, desabafa outra integrante, Silvia Kwasnieski. “A gente vai comprar sapatos e penhora a casa por uma rasteirinha”, ela ironiza.

Nós já falamos aqui no Portal Confraria das Divas sobre a dificuldade que as garotas que usam numeração pequena têm em encontrar sapatos. E é claro que não deixaríamos de fora o drama que é comprar calçados tamanho 39 para cima, como no caso das mulheres acima citadas e da estudante Deborah Biela que calça 39/40 e afirma que além de ter dificuldades em achar sapatos -pagar caro pelos que acha, ainda tem que ouvir piadinhas de mau gosto. “O pessoal ‘zoa’ fala que eu não uso calçado, que eu uso duas lanchas, mas nem ligo”. No caso de Deborah, seus pés maiores são puro resultado da genética: sua avó calça 40, sua mãe 39 e sua irmã 42.

Outra “Cinderela de pés grandes” é a fortalezense Mary Stephany, 20, que achou a solução para os sapatos de seu tamanho (40/41) em lojas de marcas consagradas como Melissa, Nike e Adidas, optando por calçados que sejam unissex. “Até mesmo Havainas, um chinelo tão básico, tenho que comprar 41/42 porque o formato é pequeno, então ultimamente estou usando apenas essas sandálias unissex da Melissa”. Mary refere-se à coleção especial da Melissa, famosa marca de sapatos de plástico que está há mais de trinta anos no mercado, que lançou em dezembro do ano passado sua primeira coleção com peças até a numeração 44. Em seu site é possível encontrar mais de 10 páginas que vendem seus produtos acima do 40.

Melissa

Dois pares de Melissa da coleção Dance Machine disponíveis até a numeração 44

É importante lembrar que o tamanho dos pés é sempre proporcional à altura, isso é o que afirma a antropometria, a ciência que estuda o dimensionamento do corpo humano. Aliás, é por meio deste estudo que são feitas as confecções de roupas e sapatos e como, segundo os dados mais recentes do IBGE, a média da altura da mulher brasileira é de 1,60, temos assim a explicação para o fato de ser escassa a fabricação de sapatos maiores.

Sejam brasileiras ou não, mulheres que usam sapatos acima da numeração 39 são mais comuns do que pensamos. Ainda duvida? Então vamos lá: Michelle Obama e Nicole Kidman calçam 42. Ana Hickmann e Jenifer Lopes usam 40. Gisele Bundchen, Cláudia Raia, Beyoncé, Gwyneth Paltrow, Oprah Winfrey e Scarlett Johansson usam 41, bem como Paris Hilton, a socialite que tem uma coleção com mais de mil sapatos – todos 41!

Paris Hilton

Não desconfiava que essas Divas usavam esses números? Talvez, o fato de todas elas saberem escolher looks que as valorizem e não deixem os pés desproporcionais ajude para que não se note os calçados maiores. Para quem usa numeração acima de 39, a consultora de imagem Alessandra Belles, orienta que as calças flare e pantalonas, por exemplo, ajudam a disfarçar um pouco o tamanho dos pés, bem como saias e vestidos longos. Mas, caso você queira usar shorts, saias e vestidos mais curtos, o certo é preferir os acima do joelho, pois esses modelos alongam a perna e deixam os pés mais proporcionais, diferente de roupas de comprimento midi, que acabam na altura dos tornozelos e enfatizam os pés. E, por mais alta que você seja nada de fugir dos saltos, alerta a consultora. “Com o salto o comprimento dos pés é visto de forma horizontal, mas quando elevamos os pés com o salto o comprimento percebido pelos olhos será menor”, afirma Alessandra.

Por mais que meninas como Gisele, Silvia, Deborah e Mary não se sintam representadas na hora de fazer compras, há quem já tenha percebido a presença delas como consumidoras, como a empresa Bazar SSK, loja de sapatos especializada em tamanhos especiais. Com o lema “para todas” a loja visa atender mulheres reais.

A Bazar SSK faz a produção de seus próprios sapatos e apesar da fabricação destes modelos ser mais cara e exigir um pouco mais de mão de obra, a marca propõem-se a encarar esse desafio,pois querem ver as clientes satisfeitas. “Ver uma cliente atendida escolhendo um calçado que ela quer e não ‘só o que tem’ é o que faz nosso trabalho valer a pena”, afirma Sarah, uma das idealizadoras da SSK.

Outro diferencial da marca é pensar no bolso de suas clientes. Se as meninas do grupo Girafetes costumam pagar mais de R$ 100,00 em uma sapatilha, a SSK vende por aproximadamente R$ 55,00 o par. “Não é porque as mulheres usam os ditos “tamanhos especiais” que precisam passar vontade ou pagar mais caro pra isso”, finaliza Sarah.

Leia também