Alô beijoqueiros! Cuidado com a empolgação carnavalesca

Quem quer curtir o carnaval e está afim de azaração precisa ficar muito atento à saúde durante esse período, já que um simples beijo pode ser suficiente para estragar a folia.

É nessa época do ano que os casos de mononucleose, a “doença do beijo” aumentam. Provocada pelo vírus Epstein-Barr, a doença é comum em adolescentes e adultos e, quando infectada, a pessoa pode sentir febre alta, dificuldade para engolir, inchaço dos gânglios linfáticos no pescoço e axilas (ínguas), dor de cabeça e erupções cutâneas.

Alem disso, a troca de fluidos bucais no carnaval pode transmitir cárie e te colocar em contato com bactérias mais agressivas que podem contribuir para uma tendência à periodontia, principalmente se a pessoa tiver gengivite e acontecer um sangramento espontâneo.

Pesquisas apontam que um único beijo de dez segundos pode transferir até 80 milhões de bactérias. E quanto mais vezes, mais probabilidades de bactérias presentes na saliva.

Outros estudos sugerem que podem existir mais de 700 tipos diferentes de bactérias na boca. E que algumas destas bactérias são compartilhadas mais facilmente que outras.

Diante de tantas novas descobertas, fique atento: “O beijo é um ótimo meio de exposição a um número gigantesco de bactérias em um tempo curto. E pode transmitir a cárie, assim como o compartilhamento de talheres, copos, etc. Por isso, temos que estar muito atentos ao risco de cárie e à qualidade da saúde de quem estamos nos relacionando”, explica Luis Calicchio, especialista em odontologia estética e sócio-diretor da clínica Made Me A.

Baixa imunidade aumenta risco de “doença do beijo”

Durante o carnaval, as poucas horas de sono, o abuso de bebidas alcoólicas, além do cansaço proveniente dessa rotina agitada, podem diminuir a resistência imunológica, propiciando o contágio por doenças oportunistas. Além da mononucleose infecciosa, ou “doença do beijo”, estão:

herpes labial e ainda todas as doenças transmitidas por gotículas.

Atitudes simples podem evitar complicações no carnaval:

  •  usar fio dental e fazer uma boa higiene bucal antes de ir para os bloquinhos
  •  evitar beijar muitas pessoas em um curto espaço de tempo
  •  evitar contato íntimo com pessoas com feridas nos lábios e na boca

Leia também