Casamento X Individualidade: a importância de manter o meio termo

Para manter o espaço depois do casamento é preciso saber respeitar a sua própria individualidade

Depois do ‘Felizes para sempre’ muitos casais começam a relatar problemas na relação, inclusive, uma sensação de vazio. Isso porque ainda vemos o casamento como um conto de fadas e romantizamos muito toda a situação. Mas, para que o casamento continue saudável, assim como nos tempos de namoro e noivado, é preciso manter a individualidade, é necessário perceber que cuidar de si é tão importante quanto cuidar do outro.

“Para manter o espaço depois do casamento é preciso saber respeitar a sua própria individualidade, isto quer dizer que você continuará sendo um ser inteiro com gostos próprios e limites, mas que junto a outra pessoa irá construir e iniciar um processo de troca. Essa troca deve ser honesta e sempre persistente, não é fácil a construção de um amor saudável, mas é muito gratificante poder todos os dias doar e receber, compartilhar, sentir que há crescimento interior e paz, tudo isso sem nunca perder a sua individualidade”, afirma a psicanalista Dra. Taty Ades.

Com o tempo, se a pessoa não mantém o seu espaço, alguns problemas podem começar a surgir como a perda de autoestima, sensação de frustração, raiva ou sentimentos de insegurança frente ao outro e depressão.

Porém, é importante manter o meio termo. Uma pessoa muito individualista pode acabar gerando graves problemas no dia a dia e levar a um casamento caótico que caminha em direção ao divórcio. “Esse também é um problema sério, precisamos pensar sempre que o maior erro é praticar o 8 ou o 80, todo casal deve encontrar um equilíbrio. A atitude egoísta afastará o outro que sentirá que seu espaço não está sendo respeitado e por conseqüência fará o mesmo ou entrará em submissão. Para que os limites sejam traçados sem egoísmo é preciso pensar em doar 50% e receber 50% , é preciso dialogar e dizer o que pensa, conversar sobre o que não concorda, negociar, traçar metas, afinal uma vida de casal deve ser vivida a dois e a postura de solteiro deve ceder espaço para o acolhimento de quem se ama”, afirma a Dra. Taty Ades.

Não podemos mensurar qual é o limite geral, pois, cada indivíduo tem uma personalidade, mas uma pessoa nunca deve ir além de seu limite para agradar o parceiro, isso só trará caos e frustração no relacionamento. Por isso, um casal que se ama de verdade, respeita o limite do outro, compreende que não deve exigir mais do que é possível dar e aceita isso com serenidade. Ultrapassar os limites do outro por egoísmo próprio é uma forma de jogo e não de amor real.

Leia também